Sunday, July 2

siga a reportagem com a vox populi mais à mão ...

o anårca cønštipadö  de novo na street agora em Ferreira do Zêzere  com um gajo que tá numa esplanada com amigos a comer caracóis e a buber umas jolas...


anårca cønštipadö:  Atão boa nôte ... 
gajo em Ferreira do Zêzere: isto é pró Correio da Manhã TV? ... 
anårca cønštipadö:  errr...não é do anarca... . por causa do assalto à tropa... 
gajo em Ferreira do Zêzere: anarca? mas nem pra tvi?  eu na tropa tive em Mafra e fui prá Guiné  .... depois voltei e montei aqui um negócio de ferragens com o meu tio Xico dos Azeites ... nunca deu grande coisa só pros sopas...
anårca cønštipadö:  pois ... mas com a sua experiência militar acha que aquilo foi golpe com colaboração interna?
gajo em Ferreira do Zêzere: isso não sei mas o que posso dizer é que quando o meu tio Xico quis lixar o sócio nas contas lá do lagar arranjou uma caldeirada com o Belarmino da gráfica que tem uns olivais ali pra Abrantes e o meu tio compro-lhe seis contentores de azeitona que ficou lá no lagar e dois dias depois desapareceu ... o sócio do meu tio o Evaristo da retrosaria ainda hoje me diz que o meu tio o aldrabou, deus o tenha em descanso, que nunca chegou a entrar lá azeitona ninhuma e que ele e o Belarmino repartiram o graveto ...  
anårca cønštipadö:  ahhhh ... e acha que foi isso que aconteceu lá em Tancos? ... 
gajo em Ferreira do Zêzere: pois isso não sei até porque o meu tio já morreu e o Belarmino tá todo entrevado ... mas já viu a quantidade de caixotes que o jornal dos espanhóis disse que roubaram lá da tropa? como é que aquilo saia de lá sem ser visto? hã? a
anårca cønštipadö:  portanto aquilo teve de ser um cambalacho marcado é que tá a dizer?  ...  
gajo em Ferreira do Zêzere: olhe quem tá a dizer é vossemecê eu cá não digo nada ... a não ser que os caracóis estão de chorar por mais ... ó Tavares traz ai mais umas mines pá ... 
anårca cønštipadö:  ahhh pois ... tou a ver ... e é tudo aqui da rua .. de volta ao estúdio com o Marques Mendes ... 




1 comment:

Anonymous said...

Despedimento coletivo do Casino Estoril de 2010, ainda nos tribunais e que não se investiga se nesta trama existe traficância de influências, com alguma corrupção, porque segundo parece nas providências cautelares alguém da justiça tem casa nova paga por offshores, sindicalista que abandona o caso com indemnização muito alta do Casino e com emprego na câmara de cascais e mais advogado do sindicato que em 2011 abre o maior gabinete de advocacia no montijo, mas que não é capaz de defender os seus associados,por fim sindicato que fecha os olhos a tudo isto prejudicando todos eles a verdade do despedimento coletivo de centenas de pessoas no fundo centenas de famílias .